Aug 4, 2021

Como as crianças refletem nossos hábitos digitais

Qustodio team

Qustodio team

Experts in digital safety

Tips to help your child stay safe during the back to school period

Quantas vezes por dia as crianças ouvem “Você é igual à sua mãe” ou “Você fala exatamente como seu pai”? É claro que, embora a genética tenha um papel importante nas semelhanças familiares, o segredo por trás de comportamentos compartilhados também pode estar relacionado a coisas chamadas neurônios-espelho. Descobertos pela primeira vez em 1996 na Universidade italiana de Parma, os neurônios-espelho são um tipo de célula nervosa que nos estimula a seguir ou imitar o comportamento que observamos nos outros. 

Com isso em mente, o nível de consciência que temos de nosso comportamento diante dos pequenos se torna ainda mais importante: os três primeiros anos de vida de uma criança moldam intensamente seu desenvolvimento, e isso também vale para seu desenvolvimento no mundo digital. As crianças aprendem muitos comportamentos de seus pais e um estudo publicado na revista Child Development demonstra que elas podem estar aprendendo alguns comportamentos mais “antissociais” daqueles ao seu redor. O estudo, envolvendo 170 famílias com pelo menos um filho com idade média de 3 anos, revelou com que frequência os dispositivos digitais atrapalham seu tempo juntos em família.

Quase metade das famílias (48%) relatou que o smartphone, computador ou tablet interfere no tempo que passam com os filhos: até três ou mais vezes ao dia, contra apenas 11% que afirmaram que tais interrupções nunca acontecem. Os neurônios-espelho nos estimulam a espelhar o comportamento que observamos nos outros e, no caso das crianças, o comportamento é muitas vezes aprendido diretamente de figuras importantes em sua vida, como os pais por isso é mais importante do que nunca que estejamos cientes da maneira como usamos tecnologia perto de nossos filhos.

Technology tips to help with the back to school routine

Recomendações da Qustodio para uso de tecnologia perto de crianças

Na Qustodio, nós mesmos somos pais: e entendemos que crescer e aprender como família em um mundo sempre conectado pode ser um desafio. Estas são as nossas recomendações para ajudar você e sua família a seguir um estilo de vida digital mais saudável, com base em pesquisas e experiências familiares reais. 

1. Lidere pelo exemplo

Neurocientistas e psicólogos afirmam que as crianças aprendem de duas maneiras: tentativa e erro e por observação. É aí que os neurônios-espelho entram em ação, quando as crianças começam a entender como interagir com seu ambiente com base no que seus pares neste caso, seus pais fazem. 

2. A desconexão digital em casa é essencial

Garantir um tempo diário longe das telas é importante, embora entendamos que muitas vezes isso pode ser difícil, especialmente agora que o local de trabalho se tornou uma grande parte da vida doméstica. Trabalhar em casa está se tornando cada vez mais comum para as empresas e, de acordo com uma pesquisa da  Universidade do Sul da Austrália, 55% dos profissionais enviaram alguma forma de comunicação digital aos colegas à noite e 30% nos finais de semana. Desligar nossos aparelhos eletrônicos, respeitar os horários de trabalho e dedicar mais tempo a outras atividades ao ar livre pode ter uma influência benéfica em nossos filhos. 

3. Use estratégias de gerenciamento de tempo

Ao analisar nossos próprios dados, 37% das famílias na Qustodio não estabelecem um limite de tempo para o uso de telas em casa. Em 2020, o uso do tempo de tela por menores de 16 anos foi maior do que nunca: 76% para redes sociais, 49% para aplicativos de comunicação, 25% para plataformas de vídeo online e 23% para videogames. Ao definir limites de tempo, seja por meio de uma ferramenta de controle dos pais ou de uma programação diária que funcione para sua família, você poderá entender quanto tempo todos estão passando diante das telas. 

4. Use ferramentas para proteger a segurança digital de sua família 

Em um estudo recente da Comissão Nacional de Mercados e Concorrência da Espanha (CNMC), 74% dos pais afirmaram saber que existiam ferramentas de controle parental, mas apenas 1 em cada 10 famílias afirmou que as utilizava. O uso inteligente da tecnologia, incluindo ferramentas que ajudam a gerenciar o tempo de tela do seu filho e protegem seus dispositivos, pode ser um ótimo recurso para os pais, ao mesmo tempo em que auxilia toda a família a valorizar seu bem-estar digital.